Aula de 16/06/1994 – Pensamento: Lucrécio e Espinoza

É muito interessante que o Espinoza e o Lucrécio tenham morrido mais ou menos com a mesma idade, quarenta e poucos anos. Lucrécio morreu completamente louco, mas não é louco por terrores dos simulacros, mas alguma coisa como o cérebro mole, como se dizia no século passado. E o Espinoza morreu mais ou menos aos quarenta e poucos anos de idade também, perseguido por todos os simulacros existentes na época, ou seja, perseguido por todas as religiões, perseguido pelo fanatismo, perseguido pela ignorância. Então, o que estou dizendo pra vocês é que o pensamento ― aquilo que nós vamos tentar investigar pela primeira vez nesta aula ― não tem como objetivo o encontro da verdade; não é esse o objetivo do pensamento! O objetivo do pensamento é afastar a IGNORÂNCIA e o FANATISMO.
 
(...)
 
Para Lucrécio, a natureza é constituída de dois elementos ― e essa aula é definitiva, é para ficar, nós não podemos esquecer! Para Lucrécio, fundamentalmente, são dois os elementos que constituem a natureza: o vazio e os átomos. A questão dos átomos, eu vou explicar pra vocês o que é, mas ele vai afirmar que o vazio ― “O” vazio: é um vazio só! ― é infinito e a quantidade dos átomos também é infinita. Então, já no despertar da filosofia dos atomistas, eles estão nos explicando que existem três infinitos (vão existir mais!), mas existe o infinito do vazio, o infinito dos átomos e o infinito da combinatória dos átomos com “o vazio” (um vazio só). Agora, a palavra átomo é uma palavra que nós utilizamos no século XX, segundo as informações da física quântica. E a física quântica nos informa que o átomo é uma estrutura.
 
Estrutura é um elemento constituído por partes, ou seja, quando você tem alguma coisa que é uma estrutura, significa que aquilo tem partes e cada parte tem uma função. Então, o átomo, esse átomo com que nós trabalhamos aí e com que fizeram a bomba atômica é uma estrutura, que é constituída de prótons, elétrons, etc., os prótons também têm estrutura, etc.
 
Agora, o átomo do atomista não tem estrutura, ele é uma unidade; e essa unidade ― sem partes, sem estrutura ― é eterna; ou seja, os átomos nunca nasceram e nunca vão desaparecer: eles são eternos; como o vazio também é eterno. E um corpo é constituído de átomos. Um corpo pode ser esta xícara, um corpo pode ser o átomo da física quântica, um corpo pode ser uma galáxia. Então, todos os corpos são constituídos de átomos. Os elementos que constituem os nossos corpos são eternos; os nossos corpos nascem e morrem, porque todas as estruturas se fazem e se desfazem.
 
Então, eles estão afirmando que nós não precisamos de nenhum deus, de nenhuma entidade superior para compreender a natureza. A natureza é o vazio e esses átomos; os átomos compõem os nossos corpos, esses átomos são os compostos dos nossos corpos, nossos corpos não podem, então, ter uma existência infinita, uma existência eterna, porque são estruturas. Eles se desfazem ― se fazem e se desfazem ― e os elementos que compõem os nossos corpos enquanto tais são eternos, porque eles são os átomos.
 
Então, esse universo vai ter sempre presente dentro dele corpos e mundos, porque os átomos vão se chocar, vão se juntar entre eles e formar mundos e corpos enquanto tais. Mas, agora, já fica lançado pra vocês que um corpo é um conjunto de átomos e que todos os corpos fazem emissões.
 
(Começa a aparecer, agora, uma doutrina muito difícil; e eu acho que é até onde eu vou ― depois eu vou parar com o Lucrécio!)
 
Por exemplo, o fogo emite fumaça, a luz emite calor, as flores emitem aromas, os nossos corpos emitem imagens ― porque todos os corpos fazem emissões de átomos. Então, nesse instante, o nosso corpo aqui está emitindo conjuntos de átomos ou compostos de átomos: é por isso que eu estou vendo vocês e vocês estão me vendo. Agora, esses compostos de átomos, que os corpos emitem, vão se encaminhar para o infinito, vão embora. Os corpos estão emitindo átomos, eles são conjuntos, alguns nos pegam e outros seguem em direção ao infinito. Esses conjuntos de átomos que seguem em direção ao infinito vão ser chamados corpos distantes das fontes. Ou melhor, simulacros distantes das fontes, ou ainda melhor, fantasmas distantes das fontes.
 
O que eles estão dizendo com isso, é que todos os nossos terrores, todos os nossos medos se originam nesses simulacros distantes das fontes, que vão formar o que eles chamam ― isso é fundamental ― de simulacros teológicos, oníricos e eróticos. Ou seja, a ilusão percorre a natureza. Agora, o que tem que ser feito é entender essa natureza, porque o entendimento vai nos afastar dos temores que esses simulacros vão no causar. Então, essa filosofia afirma ― e aqui eu gostaria que vocês declarassem para vocês de forma definitiva, porque eu não vou abandonar essa forma de pensar ― que a única maneira de nós ultrapassarmos os mitos e os temores é pelo entendimento. Ou seja, a única maneira de nós conseguirmos a liberdade é pelo pensamento ― não há outra! Qualquer outra maneira que nós vivermos, conforme eu estou colocando pra vocês, nós seremos banhados e subjugados por esses simulacros. Então, para vencê-los, a única maneira que existe é ― o pensamento.
 
continua
 
A transcrição completa desta aula pode ser lida aqui: http://claudioulpiano.org.br/aulas-transcritas/aula-de-16061994-pensamento-lucrecio-e-espinoza/
 

Parte 1: 
Parte 2: 
Parte 3: 
Parte 4:

 

9 opiniões sobre “Aula de 16/06/1994 – Pensamento: Lucrécio e Espinoza”

  1. Como tenho 73 anos (07/07/37) minha audição é ruim, além disto sempre que estudo prefiro ler do que ouvir, desde o ginásio até as formações em engenharia (1960 ENE) e Psicologia (2000 – IP, UFRJ).

    Favor quando for possível disponibilzar no site o texto transcrito correto, em função de meu pedido e em função de outras pessoas que ao acessarem a atual transcrição não terão o melhor texto para estudar.

    1. Pode deixar, caro internauta. Logo que tivermos transcrito a parte da aula original que faltava, ela será colocada no site!
      Um abraço, Os Editores

    1. Caro José Roberto,

      Desculpe-nos a demora em responder. Estivemos algumas semanas fora da web. Agradecemos pelos elogios! E se quiser receber regularmente as atualizações, basta inscrever-se no site. Há uma janela, na coluna da direita, onde está marcado “Inscreva-se”. Assim todas as atualizações irão diretamente para o seu e-mail.

    1. Olá, José Roberto
      Desde ontem, e durante 10 semanas, vamos colocar no site uma série de 10 aulas em áudio, cuja gravação está excepcionalmente clara, em perfeito estado. As aulas são longas e belíssimas, tratam de arte, passando por Proust, Nietzsche e Deleuze. Esperamos que você as aproveite bastante!
      Um abraço, Os Editores

  2. Como é difícil enviar um comentário para vcs.!
    A janela de respostas e comentários sempre
    refuta! de qualquer forma e, última tentativa,parabéns pelo belo trabalho de diagramação e seleção de
    conteúdos.

  3. Prezados,
    Encontrei o Claudio Ulpiano dois anos atrás, quando pesquisava sobre o medo e Espinoza. Despertou-me paixão imediata uma das aulas. Gostei tanto que tive o trabalho (prazeroso) de transcrever. Procurei por ele, para aulas ou orientação, e descobri que já havia falecido, o que me provocou sentimento de profunda perda. Cadastrei-me no site e desde então tenho recebido notícias e material. Obrigada por continuarem o trabalho incrível de recuperação das aulas e do pensamento desse filósofo que esmiuça com propriedade, respeito e extremo cuidado o pensamento. Cada aula é um passeio esclarecedor sobre as complexas e fantásticas elaborações mentais daqueles que contribuíram (e continuam a ajudar) na nossa formação.
    Um abraço e continuem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *