Constelação: Armadilhas do hormônio – Astrid Cabral

ARMADILHAS DO HORMÔNIO
Astrid Cabral
.
Dobras a esquina
sem que um olhar de luxúria
envolva-te colo e quadris.
Na rua povoada ninguém
para alvoroçar teus instintos
e radiografar-te o corpo.
Passaste de mulher a pessoa.
O espelho nunca mente.
De tua parte te sentes
desvencilhada de empecilhos
imune à sanha e ao perigo
das armadilhas do hormônio.
Mas a alforria não traz euforia.
Longe estás de ser anjo.

(Rasos d’água, 2003)

[print_link] [email_link]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *