Constelação: Toda mulher fatal – Lélia Coelho Frota

TODA MULHER FATAL
Lélia Coelho Frota
...............................
Toda mulher fatal é cândida
(Cozinha o sonho de pedra
da mãe colossal que a reclama).

..............................
Nuinha-eva entre pedras
entrepernas
se molha na água da vida,
beira-mar,
acha graça,
ri.

...............................
Brinca com os mariscos que juntou
acha conchas de vênus
se espanta de estar tão sozinha
sempre nascendo das espumas.
Chora.

...............................
É ter dó dela
que só espera pela libertação
da grande lápide lilás
da água alta do homem
sol perto
que fará descer

..............com misericórdia
a pálpebra, a pétala.

(Brio, 1996)

[print_link] [email_link]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *