Emanuel Tadeu Borges

Aula e plano de imanência

Eu penso que toda a dificuldade da filosofia de Deleuze, que o Cláudio soube tão bem compreender, está no fato de que ela não pode ser entendida apenas intelectualmente, isto é, como uma mera erudição. Uma vez que esse tipo de filosofia – da imanência – envolve necessariamente a vida: não é possível entendê-la sem vivê-la. Não é possível entender seus conceitos sem passar por uma transformação (ou por um devenir, como diria Deleuze). Por exemplo, quando o Cláudio convida-nos a entender as 3 sínteses do tempo – a do hábito, com Hume; a do devenir, com Bergson e a do acaso, com Nietzsche – isso irá implicar o esforço de uma transformação na sensibilidade e no pensamento.

Cada ponto da filosofia de Deleuze implica uma expressão do que é pensado. O que, no pensamento do Cláudio e de Deleuze, não significa expressão meramente verbal ou mesmo intelectual, mas a produção de uma linha de fuga ou de um plano de imanência, como no exemplo que o Cláudio tanto apreciava, tomado da obra de Messiaen: o canto do pássaro para o crepúsculo, sem utilidade nenhuma, ondas rítmicas (o “ solo ” do tordo) respondendo à paisagem melódica (o crepúsculo).

O conceito de desterritorialização, por exemplo, refere-se a uma prática não só da percepção, mas também do pensamento e da ação. É o nosso modo de existência que se modifica. Daí a prudência recomendada por Deleuze (“ Como criar para si um Corpo sem Órgãos ”) e o cuidado do Cláudio ao “ passar ” os conceitos, no ato da aula. Pois no plano de imanência, entender é envolver-se com processos de ruptura da estrutura subjetiva, da banalidade cognitiva, da nossa “ pequena humanidade ”. A tolice, a idiotia, a superstição, são “ estruturas do pensamento ”. E, enquanto tais, ao mesmo tempo, escudos do sujeito ante as forças do caos.

Emanuel Tadeu Borges é psicólogo e mestre em Psicologia pela Universidade Federal Fluminense
tadeuejoana@ig.com.br

[print_link] [email_link]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *