SHORT CUTS: Palavras de cinema – Mariza Gualano

Ninguém duvida do poder dos bordões cinematográficos. Alguns são tão marcantes que se incorporam à nossa linguagem cotidiana e - por que não dizer? - caem na boca do povo. Quem nunca ouviu por aí a célebre frase “Hasta la vista, baby”, do filme Exterminador do Futuro 2/Terminator 2 (1991) ou a também famosa “Pede pra sair, Zero Um”, de Tropa de Elite (2007)?

Algumas ficam mais que famosas e conseguem sintetizar em poucas e brilhantes palavras grande parte do conteúdo do filme. Quando o jornalista interpretado por Carleton Young, no clássico O Homem Que Matou o Facínora/The Man Who Shot Liberty Valence (1962), dispara “Quando a lenda é mais interessante que a realidade publica-se a lenda”, nos faz refletir em algumas questões levantadas pelo filme, como por exemplo o papel da imprensa, a busca da verdade, a construção dos mitos. Não foi à toa que Jean-Luc Godard usou a genial citação do filme de John Ford em seu Elogio do Amor /Éloge de L’Amour, de 2001.

No entanto, há palavras ditas no cinema que a despeito do teor sinistro tornam-se inesquecíveis. No filme Apocalypse Now (1979), Robert Duvall interpreta um coronel surfista que após o bombardeio de uma vila vietcongue não tem nenhum escrúpulo em dizer: “Adoro o cheiro de napalm de manhã. Cheiro de...vitória." Embora perverso e macabro, o comentário do personagem do filme de Francis Ford Copolla contém um cinismo e um humor negro que acabaram por seduzir diversos roteiristas e diretores, que parafrasearam o doidão coronel Kilgore nos mais diferentes tipos de filmes.

Aí vão:

“Adoro o cheiro de comércio da manhã!”

Jason Lee ao entrar num shopping em Barrados no Shopping/Mallrats (1995), direção de Kevin Smith

“Adoro o cheiro de American Classic de manhã! Tem o cheiro de vitória."

Patrick Breen ,na propaganda de uma pasta de amendoim, em Apenas Um Beijo/ Just a Kiss (2002), direção de Fisher Stevens

“Adoro o cheiro de quimioterapia pela manhã."

Jack Nicholson , um doente terminal, em Antes de Partir/The Bucket List (2007), direção de Rob Reiner

“Adoro o cheiro de banana pela manhã!”

Horton, um elefante amistoso, sendo atacado por um bando de macacos, em Horton e O Mundo dos Quem/Horton Hears a Who! (2008), direção de Jimmy Hayward e Steve Martino

“Adoro o cheiro de maçã com canela pela manhã. Tem cheiro de...vitória!”

Garfield, um gato guloso, roubando uma torta, em Garfield- O Filme (2004), direção de Peter Hewitt

Como disse Victor Hugo: “a palavra, como se sabe, é um ser vivo."

Sim, o cinema sabe.

[print_link] [email_link]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *