SHORT CUTS: Quanto mais quentes melhor – Mariza Gualano

A verdade liberta. Que o diga Kelly Bishop no filme Uma mulher descasada/ Un unmarried woman (1978) com direção de Paul Mazursky

Meu relacionamento com Hal é totalmente honesto. Ele não diz que me ama, e eu não digo a ele que é fascinante. É puro sexo.”

O casal Dyan Cannon e Elliot Gould rezam pela mesma cartilha. Sinceridade sem subterfúgios em Bob & Carol & Ted & Alice (1969), do mesmo diretor:

“-Eu sei que você está a fim. Mas, querido, agora eu não estou. Quer fazer isso assim mesmo, sem nenhum sentimento da minha parte?

-Sim.”

Inicialmente classificado de pornográfico, doentio e obsceno, o diretor norte americano Russ Meyer acabou por ser reconhecido como revolucionário, transgressor e cult. Oferecendo propostas estéticas ousadas, suas comédias eróticas transpiravam humor, irreverência e originalidade.

A filmografia de Meyer influenciou o cinema marginal, a pornochanchada e trabalhos de artistas como Tarantino, Almodóvar, Carlos Reichenbach, Jean-Paul Gaultier e outros. Suas personagens femininas não ostentam apenas formas opulentas, mas são fortes, vigorosas e comandam o espetáculo, no qual os homens geralmente são meros coadjuvantes. Suas falas são dignas de nota.

Lavelle Roby é uma garota de programa que quer seduzir Paul Lockwood, um homem casado em Achado não é roubado/ Finders keepers, lovers weepers! de 1968:

“Venha pra , querido! Você não sabe que a comida de casa vai estar sempre esperando?”

Edy Williams, atriz de filme pornô, atira sua ironia na direção de David Gurian, um jovem romântico, no filme De volta ao Vale das Bonecas/ Beyond the Valley of the Dolls de 1970:

“A vida não é a posição clássica.”

Mae West, diva dos anos 30 e 40, tinha de sobra inteligência, perspicácia e muito senso de humor Ao disparar suas máximas nos filmes em que atuou, eternizou deliciosas frases picantes do cinema.

Quando as mulheres vão pelo mau caminho, os homens vão logo atrás.” (Uma loira para três/ She done him wrong (1933) direção de Lowell Sherman)

Tantos homens... tão pouco tempo!” (Amores de uma diva/ Go west, young man (1936) direção de Henry Hathaway)

Você tem uma arma no bolso ou está feliz por me ver? (My little Chickadee (1940) direção de Edward F. Cline)


Essas e outras centenas de frases picantes estão compiladas no livro Quanto Mais Quentes Melhor – As Melhores Frases de Sexo do Cinema, de Mariza Gualano, editado pela Ponteio Edições.

[print_link] [email_link]

Uma opinião sobre “SHORT CUTS: Quanto mais quentes melhor – Mariza Gualano”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *